sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Antes

Tua matéria escura, negada
Meu mergulho sempre raso
mãos se encontram. Acidental.
Um segundo, a esperança suspensa. Água-viva.
Se esvazia, linda. dolorosa.

Nesse jogo de adivinhar você sempre erra o paradeiro da minha vontade.

2 comentários:

Thalita, disse...

Lindo mesmo!

Ramon de Alencar disse...

...
-Concordo... e mais... que belo retorno...